h1

O Problema com: Reciclagem – parte 1

outubro 19, 2007

ReciclagemDepois do post sobre o Aquecimento Global, tivemos uma idéia que podia dar uma série de posts: O Problema com. Cada um deles analisando mais objetivamente conceitos socioambientais como reciclagem, produtos ôrganicos, neutralização de carbono e assim por diante, desmistificando e jogando um pouco de luz sobre idéias que, por serem pouco conhecidas ou virarem lugar-comum, podem acabar atrapalhando mais do que ajudar.
Hoje o tema é Reciclagem. Imagino que a maioria das pessoas que lê este blog recicla. Provavelmente o faz há anos. Eu mesmo tenho mais de uma década de reciclagem nas costas. No Brasil, temos o maior índice de reciclagem de alumínio do mundo, 94,4% do total de latas produzidas anualmente. Esse valor é maior, inclusive, do que países como a Dinamarca, que possui legislação específica.

A reciclagem de alumínio traz diversos benefícios: geração de empregos e renda (que são os maiores responsáveis pelo nosso primeiro lugar no ranking, já que o alumínio rende 6 vezes mais do que o PET e 33 vezes mais que o vidro colorido), economia de recursos naturais e energia (a reciclagem consome 95% menos energia do que produzir alumínio a partir da bauxita) e, por que não, o despertar da consciência ecológica.

Então você me pergunta, dadas todos esses atestados de bons antecedentes, como é possível dizer que há um problema com a reciclagem? A verdade é que o buraco é mais embaixo.

Em primeiro lugar, há controvérsias sobre quanta energia a reciclagem realmente economiza. Esse valor depende da eficiência do processo. No caso do alumínio, realmente se gasta bem menos energia, mas em outros processos como a reciclagem do vidro ou papel, a diferença não é tão grande (cerca de 40% menos). O isopor (que, ao contrário do senso comum, possui um processo de reciclagem) é simplesmente economicamente inviável, devido ao seu baixísimo peso e grande volume. E mesmo no caso do alumínio, é preciso levar em conta o transporte desse material todo. Se ele tem que atravessar meio país de avião, sua eficiência energética cai – e conseqüentemente, sobem as emissões de gases estufa.

O que nos leva ao segundo ponto: economia. Na verdade, há uma grande discussão a respeito disso. Novamente tudo depende da eficiência do processo, da coleta, separação e a reciclagem per se. Ainda que custasse mais, os ganhos sociais poderiam valer a pena, já que a reciclagem traz emprego a pessoas que precisam.

E este é o nosso terceiro ponto: a reciclagem cria empregos. Na verdade, não é bem emprego que a reciclagem cria: ela gera renda. A diferença é sutil, mas se você for analisar, um emprego aqui no Brasil é ter carteira assinada e benefícios, o que a reciclagem não oferece. Ela gera renda porque, ainda assim, quem trabalha com isso recebe dinheiro no fim do mês. Mas muitos catadores estão mais próximos do subemprego do que de fugir da miséria. Neste sentido, a reciclagem é até assistencialista. Em São Paulo, a média de renda de quem trabalha com a reciclagem é de 400 683* reais, pouco menos de um dois salário mínimo (cooperativas credenciadas, segundo dados da Limpurb). Esse valor varia muito, podendo chegar a 800, 900 reais em algumas cooperativas. A questão é que, principalmente no Brasil, reciclagem é feita pelos excluídos da sociedade. É fruto de um país desigual em que a maior parte da população vive em condições péssimas de vida.

Estes são os três primeiros pontos que, se você quiser se aprofundar, pode encontrar nesta página da wikipedia→ (em inglês). No próximo post você vai conhecer outras 2 razões pelas quais devemos nos preocupar com a reciclagem. Não perca: eles são os mais importantes.

* update (o número anterior era uma aproximação).

About these ads

7 comentários

  1. [...] 19, 2007 by Renata Corrêa Aqui no bamboo já escrevemos sobre o problema da reciclagem e das vantagens que a redução e a reutilização têm sobre essa prática. É claro que nem [...]


  2. … sem contar que 5% da energia gasta pra fabricar uma lata de aluminio (q é o q teoricamente se gasta pra reciclar uma) é muito alto pra apenas embalar 350ml de bebida, consumidas diariamente por milhões de pessoas. Alguém com maior conhecimento poderia calcular a energia economizada no mundo caso usassemos EMBALAGENS RETORNÁVEIS. Um rápido raciocínio lógico me diz que são volumes impressionantes…


  3. bem, eu acho que tudo pode ser resolvidi da melhor maneira que se pode resolver,então,eu acho que a reciclagem resolve bastante coisa no nosso ambiente,


  4. [...] O jeito fácil e o jeito certo Novembro 19, 2007 Aqui no bamboo já escrevemos sobre o problema da reciclagem e das vantagens que a redução e a reutilização têm sobre essa prática. É claro que nem [...]


  5. é bom aprender coisas de reciclagem eu to passando pra 3 ano é bom a minha professora………. bjo reciclagem!!!!!!!!!


  6. [...] O problema com a Reciclagem – Parte 1 [...]


  7. [...] O problema com a Reciclagem – Parte 1 [...]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 98 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: