h1

O que o direito quer, o esquerdo justifica

fevereiro 23, 2011

Invertendo prioridades

Invertendo prioridades - foto de Eduardo Benhardt

Uma coisa que aprendi foi que a gente justifica tudo. Nosso cérebro é uma grande máquina racionalizadora, que consegue sempre arranjar motivos pra gente fazer aquilo que quer. O que o lado direito quer, o esquerdo justifica. Isso não é ruim. Se você magoa quem ama, se faz uma bobagem grande (ou até pequena), é por conta dessa capacidade que você consegue se perdoar e perdoar o próximo.

Mas aí também mora o perigo. A racionalização tende a nos afastar das coisas e das pessoas. Afinal, nem sempre o que é justificável é justo. Depende muito dos limites impostos pela sociedade, ou autoimpostos por você. Vale a pena torturar uma pessoa para salvar outra? Qual o valor de uma vida?

Por racionalizarmos e justificarmos, fatalmente temos sempre uma desculpa pra fazer algo errado. Vamos sair do campo das ideias e voltar pra vida real.  Sabe quando uma pessoa para o carro em local proibido e, ao ser indagada, ela diz: é só um minutinho. Ou vou só deixar uma pessoa. Ou qualquer outro equivalente? Pois bem, desculpa a gente inventa pra tudo.

Existe sempre alguém com circunstâncias atenuantes para justificar a quebra de regras de convivência. Não estou pregando uma sociedade rígida e absolutamente controladora. É mais uma questão de bom senso e respeito ao próximo. Eu, por exemplo, tenho uma regra rígida sobre isso, que aplico quando, por exemplo, estou pedalando em um trecho muito perigoso e subo na calçada.

Eu sempre levo em conta se vou incomodar ou atrapalhar outra pessoa.

Mais simples, impossível. Veja: eu peso, no momento em que vou fazer, se vou causar mal a outra pessoa. Se a resposta é sim, não faço. Pra mim, vale mais que lei. Aliás, a desobediência civil pode ser muito importante. Essa minha lei é para que haja uma coerência no meu comportamento.

Todos temos uma bússola interior, que aponta o que é certo e o que é errado. Ela costuma estar acima de leis, diretrizes, regras em geral. Se fazemos algo que a lei obriga, mas que vai contra nossa consciência, não nos sentimos bem.

No meu entendimento, ninguém é racional. Não tenho como citar autores que corroboram isso, é uma mistura de empirismo e alguns anos de estudos diversos. Se você souber de alguém, cite nos comentários. Enfim, o que quero dizer é que a gente usa o lado racional pra justificar o emocional. Se eu tô com preguiça de procurar uma vaga, paro na calçada, e justifico pensando que vai ser rapidinho, ou que todo mundo faz. Se eu vejo uma fila enorme e quero furar, justifico pensando que o que eu tenho pra fazer é mais importante do que as outras pessoas. É a mentalidade do trânsito: todo mundo está no seu caminho, todos os outros motoristas são obstáculos. Ninguém pensa que os outros também têm seus motivos e compromissos, e que também estão indo para algum lugar.

Então, já que você vai justificar tudo, que tal dizer pra si mesmo que existe uma razão pras outras pessoas estarem ali, transitando? Ou pra não ser possível estacionar naquela esquina? E, quando for justificar algo que você sabe que não é legal, tente, no mínimo, pensar se você está fazendo mal pra alguém.

:::

Veja também o post sobre liderar pelo exemplo.

About these ads

2 comentários

  1. Sobre ser racional: acabo de ler “Logicomix”, que foram mentalmente alojados na minha estante de melhores quadrinhos. A grande busca pela Verdade fez de muitos filósofos e lógicos seres loucamente racionais.
    Frege, por exemplo, achava que a nossa linguagem cotidiana é uma desgraça enquanto ferramenta para se chegar à Verdade, porque ela é vaga. Para ele, a melhor linguagem a caminho da Verdade é a matemática. Ok, Frege ficou louco, mas enfim: um dos temas do Logicomix (uma biografia do Russel, na verdade) é o limite entre a razão e a loucura.

    E estou te devendo um parecer sobre o Biowaschball: funciona.


  2. [...] O que o direito quer, o esquerdo justifica [...]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 98 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: