h1

Enquanto o Brasil for desigual, seremos campeões em reciclagem

agosto 24, 2011

Campanha atual da Coca-Cola

Cartão postal da campanha atual da Coca-Cola

Você já deve ter visto a campanha da Coca-Cola, que fala de otimismo e como, para cada pessimista, existem 84,5 pessoas de bem. É uma campanha gracinha, como diria a Hebe. O slogan, com o qual eu concordo – “Existem razões para acreditar. Os bons são maioria” –  é toda a razão pela qual este blog existe. Mas uma frase captou minha atenção: enquanto a natureza ainda sofre, 98% das latas de alumínio são recicladas no Brasil.

A frase é verdadeira, não há como negar. Ano após ano, o Brasil é campeão de reciclagem de alumínio, superando países como o Japão. E o Brasil consegue esse feito, vejam só, sem políticas públicas fortes de reciclagem e logística reversa. Como é possível?

Porque é tudo uma falácia. É uma mentira disfarçada de duas verdades. E é bem fácil de fazer isso, basta correlacionar fatos que não têm ligação de causalidade. Por exemplo, você sabia que a redução no número de piratas é responsável pelas Mudanças Climáticas?

Catadores na região da Vila Mariana

Catadores na região da Vila Mariana

A Coca-Cola mostra a reciclagem brasileira como se fosse consequência de uma população otimista e educada, feliz e contente em colaborar. A impressão que fica, se não tivermos outras informações sobre o assunto, é que os brasileiros bebem refrigerantes e cervejas já pensando em jogar na caixa de coleta seletiva. E que o governo e as empresas disponibilizam caminhões para coletar esse material todo e levar para a reciclagem. Mas olha só: eu moro em São Paulo, a maior cidade da América do Sul, num bairro da região central, com dezenas de bares, estabelecimentos comerciais e residências de classe média e, adivinhe, não há coleta seletiva. Tenho que pegar todos os recicláveis que separo e levar até um mercado próximo, que faz esse serviço em troca da construção de uma imagem sustentável – embora, convenhamos, é responsabilidade deles, se pensarmos pela ótica da logística reversa.

Ou seja, a reciclagem, no Brasil, mesmo em grandes centros urbanos, quiçá em suas partes mais longínquas e inabitadas, é bastante difícil. Então como alcançamos esse status, esse troféu de maior reciclador de alumínio do mundo? Simples: temos a miséria. Temos um país extremamente desigual. Temos pobreza e pessoas que chafurdam no lixo alheio para retirar o  pão. No Brasil, a reciclagem é possível graças, em grande parte, a cooperativas de reciclagem e catadores de lixo. Assim como aqui temos quem se disponha a limpar o banheiro dos outros, temos quem navegue as ruas em busca de latas de alumínio. Ouro de tolo.

E o irônico é que ela vai diretamente contra o que a campanha prega: otimismo. Então eu proponho que a Coca-Cola assuma uma postura mais honesta e diga a verdade:

Enquanto a população sofre, 98% das latas de alumínio são recicladas no Brasil.

EDITADO: A Eliane Koseki deu a dica do vídeo abaixo, uma paródia com o vídeo oficial da Coca.

:::

Em tempo: se a Coca-Cola prega a reciclagem e uma postura mais sustentável, ela esquece foi uma das grandes responsáveis pelo fim de uma das formas mais sustentáveis de se comercializar produtos: as embalagens retornáveis. Antes, vendiam o refrigerante. Hoje, vendem embalagens.

Mais em:

O problema com a Reciclagem – Parte 1

O problema com a Reciclagem – Parte 2

Ilha das Flores

Estamira

Lixo Extraordinário

Mundano

About these ads

12 comentários

  1. Você não sabe de nada da campanha, se informe primeiro pra depois falar. veja o documentário do victor muniz ” Lixo Extraordinário” .O que você fala é verdade ate um certo ponto Porque a coca cola esta ajudando. O cara do comercial Tião Santos, sou uma grande fã dele ele é presidente da associação dos catadores de lixo de Gramacho. Assista o documentário e veja o trabalho dele.


  2. O link do documentário:


  3. Michelle, se você não percebeu, verá q eu fiz o link para o Lixo Extraordinário. Eu vi a campanha e me informei, por isso escrevi o post. Será que você entendeu o que eu disse? Se você discorda, por favor, apresente argumentos.


  4. o que tem a ver com o consumo da droga reciclada por excelência: o crack.

    A larga maioria dos usuários são catadores de latinha…


  5. Lucas, ainda que possa haver relação entre o consumo de crack e catadores, não acho que essa generalização seja prudente.


  6. O assunto é muito delicado, mas a Michelle foi rude demais no caso.

    O documentário Lixo Extraordinário é realmente tocante.


  7. Parabéns! Um dos melhores posts que já vi!


  8. O pior de tudo é que a “gracinha” do Governo leva a vantagem enchendo a boca para se vangloriar dessas notícias, mas camuflam o verdadeiro motivo pelo qual estamos com este “rótulo” falso. Como você bem disse, estamos assim graças a catadores de lixos e cooperativas que nunca tiveram uma ajuda governamental ou se tiveram provavelmente ficaram só na ilusão. Realmente revoltante.


  9. Não interessa o que é reciclado, para o catador é só o seu ganha pão, pode ser bonito para quem vê mas é triste saber que muitas pessoas só vão ter um alimento no fim do dia, se limparem a sujeira que as empresas jogam nas ruas todos os dias…por que o consumidor não inventou a latinha, o isopor, o plástico…


  10. É bonito falar de lixo quando se está longe dele…valeu coca-cola!


  11. [...] no dinheiro assistencial que toda uma classe é capaz de lhe oferecer. ::: Confira também o post: Enquanto o Brasil for desigual, seremos campeões em reciclagem As vozes de Wall Street We are the 99% Compartilhe:EmailMaisDiggPrintLike this:LikeBe the first [...]


  12. Olá! Aqui na Alemanha a gente paga ‘casco’ de embalagens reciclaveis, só para nos obrigarmos a levar pro supermercado de volta. O valor é 0,25 euro a latinha ou a garrafa PET. (para termos de comparação o litro do leite custa 0,5 euro). Nos lugares movimentados, se vê catadores procurando embalagens que foram deixadas porpessoas que estavam passeando e não quiseram levar pra casa. Então, acho que não é o fim da embalagem retornavel o problema, e sim a falta de oganização do ‘retornamento’. Quem se interessar procura no google por Pfand na Alemanha que deve encontrar boas explicações.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 100 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: